Seguidores

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Prova de Língua Portuguesa – Mackenzie – 2010 – 1º Semestre

Universidade Mackenzie – Vestibular 2010 – 1º Semestre – Prova de Língua Portuguesa




Texto para as questões de 01 a 03


Questão nº 01 - Assinale a alternativa INCORRETA sobre o texto do 1º. quadrinho.

a) Há, predominantemente, elementos típicos do diálogo, já que o objetivo do texto é colocar em destaque o interlocutor da fala do garoto.
b) A subjetividade do texto é reforçada pelo uso de pronomes (como eu, mim),de verbos flexionados (como sonhei) e de adjetivos (como maravilhoso).
c) A presença do sinal de pontuação exclamativo, como em Eu podia voar!, indicia o envolvimento emocional do garoto com aquilo que narra.
d) A expressão de conteúdo emotivo é coerente com o fato de a linguagem estar fundamentalmente construída em torno da 1ª. pessoa.
e) Em meio a sua reconstrução do sonho, o garoto enfatiza por meio da linguagem seus atos, como a repetição verbal em “eu ria e ria”.

Questão nº 02 - Assinale a alternativa correta sobre o texto do 1º. quadrinho.

a) A relação entre linguagem verbal e visual destaca sobremaneira a presença da função metalinguística, considerando o objetivo principal do texto: apontar para possíveis técnicas de construção das diferentes linguagens.
b) A grande quantidade de traços fortes que reproduzem a chuva e a fala caudalosa do garoto estabelecem uma relação entre o verbal e o visual e apontam a presença da função poética, revelando cuidado especial com a construção da mensagem.
c) Encontra-se na fala do garoto exclusivamente a função conativa, uma vez que estão ausentes elementos que apontam para uma expressividade no processo comunicativo.
d) Observa-se, além do emprego da função e motiva (marca da pela raiva e desespero do garoto ao relatar seu sonho), o uso destacado da função fática, presente, por exemplo, na linguagem formal e conotativa do monólogo.
e) A função referencial da linguagem sobrepõe-se à função emotiva, na medida em que a tira transmite essencialmente informações de caráter objetivo.

Questão nº 03 - Considere as afirmações abaixo sobre o texto do 1º. quadrinho.

I. Há a presença de elementos típicos da linguagem falada, como o uso de aí para marcar a continuidade textual.
II. Formas como podia, estava e corria indicam que o processo verbal por elas descrito ocorre simultaneamente ao momento de fala do garoto.
I I I. Rasante refere-se ao modo como o garoto executou uma manobra enquanto, no sonho, voava.

Assinale:
a)  se todas as afirmações estiverem  corretas.
b)  se estiverem corretas apenas as afirmações I e II.
c)  se estiverem corretas apenas as afirmações II e III.
d)  se estiverem corretas apenas as afirmações I e III.
e)  se nenhuma das afirmações estiver correta.

Texto para as questões de 04 a 06

    E se todos os humanos fossem da mesma cor?
   Não haveria intolerância ou o argumento de superioridade racial. Os negros, portanto, não teriam sido escravizados, não teria existido o apartheid nem o nazismo. Ou seja, a história da humanidade seria completamente diferente. Engano seu. A natureza humana é bem mais complexa que isso: mesmo se todos tivessem a mesma cor de pele, textura de cabelo ou formato de olhos, bastaria que algum povo se destacasse no desenvolvimento técnico e econômico para se sentir superior aos demais. Aí o argumento para o domínio não seria a diferença física, mas, sim, cultural, que justificaria a exploração dos mais fracos pelos mais fortes e daria origem a todo tipo de intolerância. Em algum momento o conceito de raça apareceria.

Revista Superinteressante

Questão nº 04 - Depreende-se corretamente do texto que

a) não há possibilidade de as pessoas lutarem por igualdade, pois a humanidade é diferente e complexa por conta da justa exploração dos mais fracos pelos mais fortes.
b) a complexidade da natureza humana é resultado, exclusivamente, de elementos como código genético e aparência.
c) o conceito de raça é derivado da intolerância, que possibilita os meios para que as diferenças sejam eliminadas da convivência humana.
d) só haverá paz entre todos os povos quando as razões para discriminação e intolerância forem baseadas apenas em características físicas, estabelecidas em torno do conceito de raça.
e) uma proposta de igualdade entre todos os seres humanos é utópica, já que intolerância e discriminação podem estar ligadas não só a aspectos físicos, raciais, mas também a elementos de ordem cultural.

Questão nº 05 - É correto afirmar que o objetivo principal do texto é

a) informar acerca de resultados de novas pesquisas sobre o papel do conceito de raça no mundo moderno.
b) demonstrar que o apartheid e o nazismo são resultantes do engano das pessoas e não de consequências de complexos processos históricos.
c) estimular a formação de um debate sobre a necessidade da igualdade entre todas as raças, por conta dos avanços da genética.
d) denunciar os perigos da discriminação, procurando evitar que episódios da nossa história se repitam.
e) apresentar o início de uma ref lexão a respeito da natureza das sociedades humanas, ancoradas na noção de desigualdade e diferença.

Questão nº 06 - Todas as alternativas abaixo apontam recurso empregado no desenvolvimento do texto, EXCETO:

a) Elementos linguísticos que destacam a interação com o leitor.
b) Estrutura interrogativa com função persuasiva.
c) Referência a fatos históricos como apoio para a argumentação desenvolvida.
d) Da do s concretos resultantes de pesquisa para induzir o leitor a uma conclusão.
e) Desenvolvimento de raciocínio que nega premissa estabelecida no início do texto.
Textos para as questões 07 e 08

Texto I

01   Sôbolos rios que vão
02   por Babilônia, me achei,
03   onde sentado chorei
04   as lembranças de Sião
05   e quanto nela passei.
06   Ali, o rio corrente
07   de meus olhos foi manado;
08   e, tudo bem comparado,
09   Babilônia ao mal presente,
10   Sião ao tempo passado.

[...]

11   Mas ó tu, terra de Glória,
12   se eu nunca vi tua essência,
13   como me lembras na ausência?
14   Não me lembras na memória
15   senão na reminiscência.

 “Sôbolos rios que vão”, Luís de Camões (poeta do Classicismo português)

Texto II

01 De uma vez calhou lermos Sôbolos rios que vão. Contava-se aí da
02 Babilônia e da Jerusalém celeste. [...]  A Jerusalém é nossa, mas
03 construímo-la tão longe, tão dentro da nossa violenta inquietação,
04 que só a sua miragem nos visita de quando em quando, à hora das
05 raízes e das sombras. 

Aparição, Vergílio Ferreira (escritor português contemporâneo)

Observações:

Sôbolos = sobre os
Sião = Jerusalém

Questão nº 07 - Considerando a leitura dos dois textos, assinale a alternativa correta a respeito do texto I.

a) A constatação de um mal presente (verso 09) e a idealização do tempo passado (verso 10), identificado à terra de Glória (verso 11), são índices do neoplatonismo camoniano.
b) O texto nega uma visão espiritualista de mundo, na medida em que o poeta afirma nunca ter visto a essência (verso 12) da terra santa.
c) Os versos ironizam a idealização de Babilônia (verso 02), considerada pelo poeta como terra de Glória (verso 11). 
d) O eu lírico canta as glórias de Portugal, terra tão abençoada quanto a Jerusalém celeste (linha 02).
e) A idealização da terra santa tem como causa a relação especular entre os rios da Babilônia (versos 01 e 02) e o rio corrente (verso 06) dos olhos do poeta.

Questão nº 08 - Considerando a leitura dos dois textos, assinale a alternativa correta.

a) O texto I I é paródia do texto I, traço estilístico que define sua contemporaneidade.
b) O texto II dessacraliza o sentido da idealidade ao concebê-la como construção humana e não divina, como prova o trecho A Jerusalém é nossa, mas construímo-la tão longe, tão dentro da nossa violenta inquietação (linhas 02 e 03).
c) Embora escritos em épocas diferentes, I e II convergem num ponto: ambos concebem a cidade de Jerusalém como a pátria dos portugueses, por suas características geográficas e históricas.
d) O texto II vale-se de linguagem metafórica – hora das raízes e das sombras (linhas 04 e 05) –  recurso literário ausente no texto I.   
e) Em II, o narrador critica o descaso da humanidade para com o passado cultural, concebido atualmente como miragem e sombras (linhas 04 e 05).

Textos para as questões de 09 a 11

Texto I

01   Na paisagem do rio
02   difícil é saber 
03   onde começa o rio;
04   onde a lama
05   começa do rio; 
06   onde a terra
07   começa da lama;
08   onde o homem,
09   onde a pele
10   começa da lama;
11   onde começa o homem
12   naquele homem.

“O cão sem plumas”, João Cabral de Melo Neto

Texto II

01 O senhor tolere, isto é o sertão. Uns querem que não seja: que situado
02 sertão é por os campos gerais a fora a dentro, eles dizem, fim de
03 rumo, terras altas, demais do Urucuia. Toleima. Para os de Corinto e
04 do Curvelo, então, o aqui não é dito sertão? Ah, que tem maior. [...]
05 Enfim, cada um o que quer aprova, o senhor sabe: pão ou pães, é
06 questão de opiniães... O sertão está em toda a parte.

Grande sertão: veredas, João Guimarães Rosa

Questão nº 09 - Considerando o texto I, no contexto da obra do poeta, assinale a alternativa correta.

a) “O cão sem plumas” retrata e denuncia, fundamentalmente, as péssimas condições de vida que o sertanejo enfrenta durante o período da seca.
b) No excerto em questão, a linguagem poética ressalta a ideia de que homem e meio se confundem em viscosa mistura. 
c) O título do poema ganha sentido irônico na medida em que plumas sugere “ornamento, beleza”, atributos ausentes na região nordestina.
d) Dos versos pode-se inferir, corretamente,  que a grandeza humana resulta da harmonia entre homem e natureza.
e) A valorização de um conteúdo explicitamente ideológico, em detrimento da forma estética, é traço marcante na obra do poeta.  

Questão nº 10 - Considerando o texto II, no contexto da obra do escritor, assinale a alternativa correta. 

a) O diálogo entre o autor e o leitor – O senhor tolere, o senhor sabe ...  (linhas 01 e 05) –  é traço estilístico de Guimarães Rosa,  caracterizado essencialmente pela oralidade e espontaneidade da fala sertaneja.
b) Expressões como Toleima (linha 03) e opiniães (linha 06), entre outras, dão um tom humorístico ao discurso e  reforçam a crítica do autor à ingenuidade e cultura não-letrada do sertanejo.
c) Na fala do narrador-personagem problematizam-se os limites de uma determinada região geográfica do Brasil – o sertão –, formalizando-se, assim, o tema da relatividade dos juízos.
d) O fragmento exemplifica o regionalismo de Guimarães Rosa, desenvolvido a partir de um enfoque naturalista, em que se ressalta a cor local – fim de rumo, terras altas, demais do Urucuia (linhas 02 e 03).
e) O foco centrado na conversa de dois interlocutores de culturas diferentes – o sertanejo e o senhor – é índice da temática neorrealista  que caracteriza o escritor, qual seja, o contraste entre cidade e campo. 

Questão nº 11 - Considere as seguintes assertivas relacionadas aos dois textos, levando em conta a produção dos respectivos autores.

I. O caráter literário de I e de II resulta da beleza, concisão e clareza da linguagem utilizada pelos autores para registrar fidedignamente um universo típica e exclusivamente brasileiro.
II. O valor literário de I e II deve-se ao especial tratamento linguístico que confere às palavras sentidos múltiplos.
III. O efeito conotativo dos textos permite dizer que tanto o homem referido em I, quanto o sertão referido em II, transcendem os limites do regional para representarem valores universais.

Assinale:
a) se todas as assertivas estiverem corretas.
b) se apenas I e II estiverem corretas.
c) se apenas II e III estiverem corretas.
d) se apenas II estiver correta.
e) se apenas III estiver correta.

GABARITO

1 – A    2 – B    3 – D    4 – E   5 – E   6 – D   7 – A   8 – B   9 – B  10 – C   11 – C

Nenhum comentário:

Postar um comentário