Seguidores

terça-feira, 8 de maio de 2012

FATEC 2005 - 1º Semestre - Prova de Língua Portuguesa

FATEC - Prova de Língua Portuguesa - 1º Semestre - 2005


Leia o texto para responder às questões de números 43 a 45.

Capítulo CC

Poucos dias depois, [Rubião] morreu... Não morreu súbdito nem vencido. Antes de principiar a agonia, que foi curta, pôs a coroa na cabeça, uma coroa que não era, ao menos, um chapéu velho ou uma bacia, onde os espectadores palpassem a ilusão. Não, senhor; ele pegou em nada, levantou nada e cingiu nada; só ele via a insígnia imperial, pesada de ouro, rútila de brilhantes e outras pedras preciosas. O esforço que fizera para erguer meio corpo não durou muito; o corpo caiu outra vez; o rosto conservou porventura uma expressão gloriosa. Guardem a minha coroa, murmurou. Ao vencedor...
A cara ficou séria porque a morte é séria; dous minutos de agonia, um trejeito horrível, e estava assinada a abdicação.

Capitulo CCI

Queria dizer aqui o fim do Quincas Borba, que adoeceu também, ganiu infinitamente, fugiu desvairado em busca do dono, e amanheceu morto na rua, três dias depois. Mas, vendo a morte do cão narrada em capítulo especial, é provável que me perguntes se ele, se o seu defunto homônimo é que dá titulo ao livro, e por que antes um que outro, questão prenhe de questões, que nos levariam longe... Eia! chora os dous recentes mortos, se tens lágrimas. Se só tens riso, ri-te! É a mesma cousa. O Cruzeiro que a linda Sofia não quis fitar, como lhe pedia Rubião, está assaz alto para não discernir os risos e as lágrimas dos homens.

(Machado de Assis. Quincas Borba.)

Questão 43 - Depreende-se do texto que

a) ao narrar a agonia de Rubião, o narrador deixa implícito que aquele merecia as honrarias de um rei.
b) a ambigüidade no título do romance,  Quincas Borba, justifica-se pelo fato de o autor não conseguir definir-se por homenagear o filósofo ou seu cão.
c) a afirmação que encerra o capítulo CC revela um traço machadiano característico: a ironia.
d) a declaração de que Sofia não quis fitar o Cruzeiro revela a indiferença como matriz do estilo do autor.
e) a linguagem empregada para descrever a morte de Quincas Borba revela tendência do narrador a dar mais importância ao cão do que Rubião.

Questão 44 - Reescritas de acordo com a norma culta, na 3ª  pessoa do plural, as formas verbais destacadas na frase “Eia! chora os dous recentes mortos, se tens lágrimas. Se só tens riso, ri-te!” poderão, conservando o sentido original, dar lugar respectivamente a

a) chorem – possuem – possuem – riem-se.
b) choram – há – há – riem-se.
c) choram – têem – têem – riam-se.
d) chorem – têm – têm – riam-se.
e) choram – houverem – houverem – riam-se.

Questão 45 - “... só ele via a insígnia imperial, pesada de ouro, rútila de brilhantes.”

No contexto, as expressões em negrito exprimem, respectivamente, ideia de:

a) causa e causa.    b) causa e instrumento.
c) matéria e meio.  d) modo e modo.           e) Intensidade e intensidade.

Leia o texto para responder às questões de números 46 a 48.

Os ouvintes ou são maus ou são bons; se são bons, faz neles grande fruto a palavra de Deus; se são maus, ainda que não faça neles fruto, faz efeito. A palavra de Deus é tão fecunda, que nos bons faz muito fruto e é tão eficaz, que nos maus, ainda que não faça fruto, faz efeito; lançada nos espinhos não frutificou, mas nasceu até nos espinhos; lançada nas pedras não frutificou, mas nasceu até nas pedras. Os piores ouvintes que há na Igreja de Deus são as pedras e os espinhos. E por quê?  Os espinhos por agudos, as pedras por duras. Ouvintes de entendimentos agudos e ouvintes de vontades endurecidas são os piores que há. Os ouvintes de entendimentos agudos são maus ouvintes, porque vêm só a ouvir sutilezas, a esperar galantarias, a avaliar pensamentos, e às vezes também a picar quem os não pica.  
Mas os de vontades endurecidas ainda são piores, porque um entendimento agudo pode-se ferir pelos mesmos fios, e vencer-se uma agudeza com outra maior; mas contra vontades endurecidas nenhuma coisa aproveita a agudeza, antes dana  mais, porque quanto as setas são mais agudas, tanto mais facilmente se despontam na pedra.  
E com os ouvintes de entendimentos agudos e os ouvintes de vontades endurecidas serem os mais rebeldes, é tanta a força da divina palavra, que, apesar da agudeza, nasce nos espinhos, e apesar da dureza, nasce nas pedras.

(Padre Antônio Vieira, Sermão da Sexagésima . Texto editado.)

Questão 46 - Considere as afirmações seguintes sobre o texto de Vieira.

I. Trata-se de texto predominantemente argumentativo, no qual Vieira emprega as
metáforas do espinho e da pedra para referir-se àqueles em que a palavra de Deus não prospera.
II. Nota-se no texto a metalinguagem, pois o sermão trata da própria arte da pregação
religiosa.
III. À vista da construção essencialmente fundada no jogo de idéias, fazendo progredir o tema pelo raciocínio, pela lógica, o texto caracteriza-se como conceptista.
IV. Efeito da Revolução Industrial, que reforçou a perspectiva capitalista e o individualismo, esse texto traduz a busca da natureza (pedras, espinhos, .....) como refúgio para o eu lírico religioso.
V. Vincula-se ao Barroco, movimento estético entre cujos traços destaca-se a oscilação entre o clássico (de matriz pagã) e o medieval (de matriz cristã), a qual se traduz em estados de conflito religioso.

Estão corretas apenas as afirmações

a) I, II e III. b) I, III e V. c) II, III e IV. d) II, III, IV e V. e) I, II, III e V.

Questão 47 - “Contra vontades endurecidas nenhuma coisa aproveita a agudeza, antes dana mais.”

Assinale a alternativa em que o sentido dessa frase está adequadamente expresso.

a) A agudeza não se vale das vontades endurecidas contra elas, dana-se.
b) As vontades endurecidas não aproveitam nada; antes delas, tudo é pior.
c) Nada se aproveita da agudeza contra vontades endurecidas: piora mais ainda.
d) Só uma coisa se aproveita contra vontades endurecidas: a agudeza, que antes dana mais.
e) A agudeza de nada vale contra vontades endurecidas  só piora.

Questão 48 - “... é tanta a força da divina palavra, que, apesar da agudeza, nasce nos espinhos.”

O valor sintático da frase em negrito, no enunciado acima, reflete-se na oração destacada na alternativa:

a) ... se são bons, faz neles grande fruto a palavra de Deus.
b) ... lançada nos espinhos não frutificou, mas nasceu até nos espinhos.
c) ... são maus ouvintes, porque vêm só a ouvir sutilezas.
d) ... se são maus, ainda que não faça neles fruto, faz efeito.
e) ... a palavra de Deus é tão fecunda, que nos bons faz muitos frutos.

GABARITO

43 C – 44 D – 45 A – 46 E – 47 E – 48 D 

Nenhum comentário:

Postar um comentário